Buscar

A (RENAP) publica nota contra a violação dos Direitos Humanos em Rondônia


No último domingo, a Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares (RENAP) publicou uma carta de repúdio à violência e violações de Direitos Humanos e à criminalização dos defensores dos Direitos Humanos, no estado de Rondônia. A carta ainda destaca que a região é marcada pela ocorrência de frequentes conflitos fundiários, nos quais povos indígenas, comunidades tradicionais, trabalhadoras e trabalhadores rurais e sem terra sofrem despejos, agressões, ameaças, roubos, perseguições e assassinatos. A motivação da carta é a tentativa de criminalização da advogada Lenir Correia, que desenvolve o trabalho de assessoria jurídica em defesa dos trabalhadores e trabalhadoras rurais.

Infelizmente, no Brasil, a perseguição às defensoras e aos defensores de Direitos Humanos é comum e sequer chega a ser noticiada. Esse cenário vem sendo agravado com a ascensão da extrema direita aos cargos de poder, como executivo, legislativo e judiciário, bem como ao discurso ideológico midiático.

É válido relembrar que, recentemente, em 2017, um dos maiores casos que chegou à mídia foi o assassinato de Marielle Franco, socióloga, vereadora do Rio de Janeiro (RJ) e ativista dos Direitos Humanos, caso o qual até hoje não se tem muitos detalhes sobre quem foi ou foram os mandantes do crime.

Além disso, em relação aos conflitos de terra, que se aproximam mais da carta feita pela RENAP, é possível compreender que eles se acentuam a cada ano, de acordo com os dados do relatório “Conflitos no Campo Brasil”, registrados pela Comissão Pastoral da Terra, e diversas lideranças e membros de coletivos e movimentos de luta pela reforma agrária são criminalizados ou acabam sendo assassinados.


#ParaTodosVerem a imagem contém uma foto do Logo da RENAP, acima está a manchete “A Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares (RENAP) publica nota contra a violação dos Direitos Humanos em Rondônia” e no canto inferior direito está o logo do Senso Crítico.


8 visualizações0 comentário