Buscar

Com avanço nas investigações, Ricardo Salles deixa o ministério do meio ambiente no dia 26/06.


Diante da acusação de crimes relacionados à criação de dificuldades para a fiscalização ambiental e de atrapalhar investigações que envolvem organização criminosa, a Ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, autorizou a abertura de um inquérito para investigar o até então Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. O pedido foi de autoria da Procuradoria Geral da República (PGR) após uma investigação da Polícia Federal que apreendeu madeiras extraídas ilegalmente. Em maio já havia uma investigação autorizada pelo Ministro Alexandre de Morais, também do STF, que envolvia a apuração de exportação ilegal de madeira. A Polícia Federal afirmou, segundo uma matéria da BBC (junho de 2021), que as investigações começaram por meio de denúncias encaminhadas por autoridades dos Estados Unidos.

Nesse contexto, segundo o g1.com (junho de 2021) o Ministro Alexandre de Morais autorizou o envio do celular de Ricardo Salles, que estava com a PF, para ser desbloqueado nos Estados Unidos. Logo após isso, Salles deixou o cargo de Ministro do Meio Ambiente. Ainda assim, Bolsonaro elogiou a participação de Salles em seu governo.

O período em que Ricardo Salles esteve à frente do ministério do meio ambiente, no entanto, foi marcado pelo aumento significativo do desmatamento e pela pressão interna e externa para preservação ambiental. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o desmatamento na Amazônia bateu níveis recordes nos meses de março, abril e maio, com uma estimativa de 41% a mais de perda de floresta, que o registrado em maio de 2021. Ademais, a gestão do governo Bolsonaro realizou um corte R$240 milhões na pasta do meio ambiente, o que, por sua vez, dificulta os institutos responsáveis pelas questões ambientais consigam lidar de forma adequada com os problemas recorrentes, como as queimadas, que atingem a região amazônica e, em agosto de 2020, atingiram o Pantanal.


#PraCegoVer: imagem como foto de Ricardo Salles no fundo, logo do Senso Crítico no canto superior esquerdo e a seguinte legenda na parte inferior: após avanço nas investigações sobre as acusações feitas a Ricardo Salles, ele deixa o ministério do meio ambiente no dia 26/06.


0 visualização0 comentário