Buscar

Entregadores de aplicativo fazem greve sem indicativo de data para término


No último dia 8, os entregadores de aplicativo iniciaram uma paralisação para reivindicar melhorias nas condições de trabalho. Entre as demandas dos trabalhadores estão, o fim da coleta dupla, quando o trabalhador realiza duas entregas sem receber a taxa mínima, e o fim do bloqueio sem justificativa. Ademais, os entregadores reclamam da baixa remuneração pelas viagens em um contexto de alta no preço do combustível. A greve já se espalhou por algumas cidades no interior de São Paulo, como Jundiaí e Paulínia, e também estão acontecendo paralisações em Maceió (AL). Os trabalhadores já anunciaram que não há uma data para o fim da greve e que aguardam uma resposta dos APPs.

É preciso relembrar que essa não é a primeira mobilização de entregadoras e entregadores por aplicativos em prol da criação e da efetivação de direitos. O dia 1º de julho de 2020 foi marcado por uma paralisação nacional desses trabalhadores, o “BrequedosApps”, que foi muito significativo no reconhecimento dos entregadores enquanto classe trabalhadora, e não como empreendedores de si mesmo, como as empresas bilionárias afirmam. Na referida data, em plena pandemia do coronavírus, as entregadoras e os entregadores denunciaram a situação precária de trabalho à qual estavam e ainda estão submetidos e pautaram a luta por direitos trabalhistas para a categoria. Esses trabalhadores, ao se inscreverem nos aplicativos como entregadores, não constituem nenhum tipo de vínculo empregatício ou jurídico, o que os mantém fora das proteções trabalhistas existentes no Brasil. Além disso, todas as despesas com o deslocamento para fazer as entregas é transferido aos trabalhadores: gasto com combustível, com aluguéis e com reparos no meio de transporte. Os riscos que a profissão oferece, também são assumidos pelas entregadoras e pelos entregadores, como acidentes e a contaminação pelo coronavírus, por exemplo.


#ParaTodosVerem a imagem contém uma foto de uma mochila da Rappi com um cartaz escrito “Nossas vidas valem mais que o lucro deles” com a tag #BrequedosApps, acima está a manchete “Entregadores de aplicativo fazem greve sem indicativo de data para término” e no canto inferior direito está o logo do Senso Crítico.


1 visualização0 comentário