Buscar

Pandora Papers; como Paulo Guedes está se beneficiando de empresas em paraísos fiscais


Na última semana, o Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) divulgou nomes de políticos, funcionários públicos e celebridades que possuem empresas e fortunas de dinheiro guardadas em paraísos fiscais. O documento, com o andamento das investigações e os nomes dos envolvidos, foi chamado de Pandora Papers. As pessoas que aparecem no documento estão sendo acusadas de manter empresas em países com baixa tributação de renda e que garantem sigilo da origem social da empresa. Esses países são conhecidos como paraísos fiscais, um exemplo são as Ilhas Virgens Britânicas, no Caribe. As empresas mantidas nesses lugares, ou seja, fora do país de origem do dono, são chamadas de Offshores.

As offshores, no entanto, podem ser usadas legalmente para fazer negócios internacionais, desde que seja declarada à Receita Federal e, caso o que a empresa possua em ativo for acima de 1 milhão de dólares, também deve haver declaração ao Banco Central.

Porém, no caso do Ministro Paulo Guedes, como mostra uma matéria da Uol.com (outubro, 2021), de acordo com a legislação brasileira, funcionários públicos de alto escalão estão proibidos de manter aplicações financeiras que possam ser afetadas por políticas do governo. Nesse caso, ele deveria ter declarado à Comissão de Ética Pública quais eram os seus investimentos, 10 dias antes de assumir seu cargo. O que não foi feito. Outro escândalo que envolve Guedes no caso é o fato do aumento do dólar no Brasil, que prejudica a maior parte da população brasileira, ter beneficiado os investimentos do Ministro brasileiro. Isso porque, o dólar mais caro, para quem tem investimentos fora do país, é bastante positivo (BBC, 2021).

Além de Guedes, outros membros das elites políticas latinoamericana foram citados na investigação. Entre eles estão Sebastián Piñera, presidente do Chile, Guillermo Lasso, presidente do Equador, e Luis Abinader, presidente da República Dominicana. A América Latina, marcada pelo entrelaçamento entre o público e o privado, é a região com mais nomes entre os listados no Pandora Papers.


#ParaTodosVerem a imagem contém uma foto de Paulo Guedes, acima está a manchete “O escândalo dos Pandora Papers: como o Ministro Paulo Guedes está envolvido se beneficiou de empresas em paraísos fiscais” e no canto inferior direito está o logo do Senso Crítico.


0 visualização0 comentário