Buscar

Jagunços encapuzados invadem comunidade tradicional no Maranhão.


Na manhã do dia 19 de Maio, 22 jagunços encapuzados invadiram a comunidade tradicional Gameleira, no município de Brejo, no leste do Maranhão, região de fronteira com o Piauí. Em vídeos publicados pelos próprios camponeses, os jagunços entram na comunidade armados em tratores e expulsam os moradores. Apesar de ter sido uma invasão grande e bem planejada, os moradores da Gameleira conseguiram impedir a entrada dos jagunços nas áreas mais preservadas da comunidade. Isso porque, eles já identificaram um possível ataque e, com o auxílio do Padre Chagas e do bispo Dom José Valdeci Santos Mendes, conseguiram fazer uma denúncia ao Secretário de Segurança Pública do Maranhão. O Governador do Estado, Flávio Dino (PCdoB), se pronunciou sobre o caso afirmando que enviou um batalhão da polícia ao local. Mesmo assim, os vídeos divulgados chamaram a atenção de entidades, movimentos e organizações.

Membros da comunidade também relataram que ataques como esses não são recentes, sendo que até chegaram a tomar medidas de proteção territorial, colocando arame em seu território. Porém, ele foi cortado durante uma madrugada. Além disso, tiveram que se mobilizar no início de 2021 para retirar tratores que foram deixados em sua área, com o intuito de promover outro tipo de invasão. Estes, contudo, não foram os únicos casos de invasão de comunidades tradicionais por jagunços na região. Outras comunidades como Viado Branco, Água Branca, Centro das Teixeiras, Ingá, Guarimã, Macaco dos Vitos, Corrente, Panela, Mata de Baixo e Mata de Cima também expuseram ameaças e invasões em suas terras. Os camponeses, além disso, relatam que os jagunços utilizam a prática do correntão, na qual derrubam a mata com uma corrente presa em tratores para desmatar a vegetação nativa. Ademais, denunciam o uso indiscriminado de agrotóxicos por fazendeiros da região, o que promove uma contaminação dos rios, do solo e dos animais.

Os camponeses entendem que o intuito desses ataques é o de retirar essas famílias da região para a utilização do terreno pelo agronegócio.


Fonte: racismoambiental.net.br


Foto: Delegacia de Conflitos Agrários e Igualdade Racial do Maranhão


#Pracegover A imagem contém uma foto de uma corrente utilizada na prática do “correntão”, com o logo do Senso Crítico no canto superior esquerdo e, abaixo, a manchete: “Jagunços encapuzados invadem comunidade tradicional no Maranhão, expulsam camponeses e desmatam a vegetação nativa”.


1 visualização0 comentário