Buscar

KATHLEN ROMEU, GRÁVIDA DE 4 MESES, MORRE APÓS SER BALEADA EM OPERAÇÃO POLICIAL NO RIO DE JANEIRO.


Na tarde de terça-feira, dia 8, a jovem de 24 anos, Kathlen Romeu, foi atingida na cabeça por um tiro, durante uma operaçõa policial em uma comunidade no Complexo do Lins, na zona norte do Rio de Janeiro. A jovem chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu. Kathlen trabalhava como designer de interiores e estava grávida de quatro meses. Segundo a avó de Kathlen, em depoimento para o G1 no dia 8, a jovem já havia se mudado do local há cerca de um mês, por medo da violência, mas no dia do ocorrido, ela foi visitar uma tia que ainda mora no local quando a operação começou.

Após o ocorrido, como forma de resposta à violenta ação policial que gerou a morte de Kathlen Romeu, e da criança que gerava em sua barriga, as moradores e os moradores da região protestaram na autoestrada Grajaú-Jacarepaguá, pedindo paz em prol da comunidade do Lins Vasconcelos. Segundo o portal Voz das Comunidades (08/06), essas manifestações foram marcadas pela repressão policial, inclusive por disparos de tiros na região.

A cada notícia como esta fica mais perceptível o que já havíamos tratado no Senso Crítico a respeito do racismo estrutural na sociedade brasileira e da normalização das mortes de pessoas negras nessas ações policiais.

Tal atrocidade ganhou repercussão nas redes sociais por meio da #JusticaPorKathlenRomeu. Também foi questionado por alguns internautas, o fato da capa do jornal mais importante do Rio de Janeiro “O Globo”, não ter colocado nada em sua capa do dia 09/06 a respeito do assassinato de Kathlen e seu filho.

Lamentamos por mais duas vidas negras muito jovens que se foram em mais uma operação da polícia militar no Rio de Janeiro.


#Pracegover A imagem contém uma foto de Kathlen Romeu grávida, no canto superior esquerdo está o logo do Senso Crítico

0 visualização0 comentário