Buscar

Shireen Abu Akleh, jornalista palestina do jornal Al-Jazeera, foi assassinada por Israel


Na última quarta feira, dia 11/05, a jornalista palestina e correspondente do jornal Al-Jazeera, Shireen Abu Akleh, foi assassinada pelas forças armadas de Israel enquanto cobria uma operação do exército israelense na Cisjordânia. Segundo o jornal Al-Jazeera. Colegas da jornalista que testemunharam o acontecimento, Shireen estava vestindo um colete à prova de balas e um capacete quando foi atingida com um tiro na cabeça. As testemunhas também disseram que não houve conflito com grupos armados palestinos, contrariando o posicionamento do governo israelense sobre a possibilidade de o tiro ser de origem de grupos palestinos. Shireen foi levada ao hospital às pressas onde, pouco tempo depois, foi declarada morta. O funeral da jornalista foi marcado por tensões entre a polícia israelense e palestinos presentes para homenageá-la. O corpo foi carregado coberto pela bandeira da Palestina.

Shireen Abu Akleh nasceu em 1971 na região da Palestina, estudou jornalismo na Jordânia e cofundou a rádio “A voz da Palestina”. Em 1997 a jornalista entrou para o Al-Jazeera e teve sua história marcada pelo seu trabalho e por sua coragem, além de ter sido uma das primeiras mulheres árabes a estar à frente como correspondente de guerra.

Shireen Abu Akleh foi acompanhada por diversos palestinos durante suas reportagens, já que a mesma cobria os ocorridos e fazia análises políticas a respeito dos principais acontecimentos dos territórios palestinos.


#ParaTodosVerem no lado esquerdo da imagem há uma foto de um pôster contendo uma foto de Shireen coberta por uma mancha de sangue, no lado direito está a manchete “Jornalista palestina Shireen Abu Akleh do Jornal Al-Jazeera foi morta a tiros pelas forças armadas de Israel”, abaixo está escrito “Shireen foi morta enquanto cobria uma operação do exército israelense na Cisjordânia” e no canto superior direito está o logo do Senso Crítico


2 visualizações0 comentário